quinta-feira, 28 de maio de 2009

Minhas latinhas






Aí estão as latinhas que fiz no último fim de semana. Como falei no post anterior, pintei seguindo as dicas da Aline, do Entre Pincéis, e os moldes das galinhas, peguei no Cantinho da Hakathi.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Quero fazer...




Recebi este presentinho da Aline Vachelli do Entre Pincéis, um blog M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O que tenho a honra de acompanhar desde o início.
Aqui estão as regras:
1-Listar 8 coisas que você gostaria de fazer antes de morrer
2-Indicar 8 blogs para fazer a própria lista.
3-Avisar aos indicados


Aqui está minha lista:

• Ver meus três filhos realizados pessoal e profissionalmente
• Ter muitos netos e manter minha família unida
• Prestar algum tipo de serviço voluntário, de preferência com idosos
• Dedicar-me diariamente ao trabalho artesanal (quem sabe, não concilio com o desejo anterior?!)
• Aprender inglês (já comecei o curso umas três vezes e paro por falta de tempo)
• Conhecer a região Sul do Brasil (não necessariamente nas estações mais frias)
• Fazer uma viagem pela Europa com meu marido
• Conhecer a Grécia

E aqui os meus indicados:

Bianca – Meio Amélia
Cida Hilel – Paixão por artesanato
Célia – Criando e copiando Sempre
Glorinha – Arte em Família
Manuela – Artes Decorativas
Maíra – Reciclagem e Arte
Miká –Coração de feltro
Paula –Quiosque de idéias

terça-feira, 26 de maio de 2009

Sabedoria



Ontem não deu tempo contar, mas no último fim de semana, consegui me aproximar das minhas ferramentas: preparei uma caixa com tampa forrada com tecido (supersimples, mas muito gostoso de fazer), dois sabonetes com o tecido da tampa, um sachê com o mesmo tecido formando um kit. Terminei duas latinhas (que adorei!!!) e fiz mais uma lapidação. Viram que produção incrível para quem está completamente sem tempo para as artes? Hoje vou mostrar só a taça do Rodolpho, que havia prometido há um tempão e já me desculpei n vezes com ele pela falta de tempo. O Rodolpho mesmo escolheu o tema e me enviou: símbolo oriental ( não sei se japonês ou chinês) da Sabedoria. Nem tive tempo de fotografar as demais peças, aos pouquinhos vou mostrar aqui, aguardem!

Recicle e ganhe...

A consciência tranquila;
Um planeta menos poluído;
Um lugar mais agradável para viver;
e prêmios!!!





O blog ELIArtes está promovendo um concurso maravilhoso de incentivo à reciclagem. Passa lá para ver as regras e muitas outras coisas legais que estão no blog.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Quer ganhar essa caixa linda?




Então corra ao blog Entre Pincéis da Aline e veja o regulamento!!! Mas, corra mesmo!!
O prazo para envio das fotos encerra amanhã ao meio-dia.

Eu já enviei a minha.

Boa sorte!!

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Mais lapidação...

Ultimamente, infelizmente, não tenho conseguido chegar nem perto dos pincéis, tintas, nem canetas de lapidação. Então, resolvi mostrar trabalhos mais antigos, que ainda não havia mostrado.

Essas taças fiz para um amigo e sua noiva. Espero que tenham gostado!

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Mais alguns trabalhos em vidro:
Uma taça florida:



Para meu amigo Thiago, resolvi fazer uma fênix estilizada, por saber de sua força interior, que o leva a enfrentar e superar momentos difíceis:
A fênix ou fénix (em grego ϕοῖνιξ) é um pássaro da mitologia grega e egípcia que quando morria entrava em auto-combustão e passado algum tempo renascia das próprias cinzas. Outra característica da fénix é sua força que a faz transportar em vôo cargas muito pesadas, havendo lendas nas quais chega a carregar elefantes.
http://pt.wikipedia.org/wiki/FENIX


Thi, te adoro!!! Beijão

sábado, 9 de maio de 2009

Antes de ser mãe...



Antes de ser mãe, eu fazia e comia refeições quentes.

Eu usava roupas sem manchas.

Eu tinha calmas conversas ao telefone.

Antes de ser mãe,

Eu dormia tão tarde quanto eu quisesse e nunca me preocupava com que horas

iria para a cama.

Eu escovava meus cabelos e tomava banho sem pressa.

Antes de ser mãe,

Minha casa estava limpa todos os dias.

Eu nunca tropeçava em brinquedos ou pensava em canções de ninar.

Antes de ser mãe,

Eu não me preocupava se minhas plantas eram venenosas.

Eu nem sabia que existiam protetores de tomada...

Antes de ser mãe,

Ninguém nunca tinha vomitado ou cuspido em mim.

Eu nunca tinha sido mordida nem beliscada por dedos minúsculos.

Ninguém nunca tinha me molhado.

Antes de ser mãe,

Eu tinha controle da minha mente, dos meus pensamentos, do meu corpo e do

meu tempo.

Eu dormia a noite toda!!

Antes de ser mãe,

Eu nunca tinha segurado uma criança chorando para que pudessem fazer exames

ou aplicar vacinas.

Eu nunca havia experimentado a maravilhosa sensação de amamentar e saciar

um bebê faminto.

Eu nunca tinha olhado em olhos marejados e chorado.

Eu nunca tinha ficado tão gloriosamente feliz por causa de um simples

sorriso.

Eu nunca tinha sentado tarde da noite só para admirar um bebê dormindo.

Eu nunca tinha segurado um bebê dormindo só porque eu não queria deixá-lo.

Eu nunca havia sentido meu coração se quebrar em um milhão de pedaços porque

eu não pude parar uma dor.

Eu nunca imaginaria que algo tão pequeno pudesse afetar tanto minha vida.

Eu nunca soube que eu amaria ser mãe.

Antes de ser mãe,

Eu não conhecia a sensação de ter meu coração fora de meu corpo.

Eu não conhecia a força do amor entre uma mãe e seu filho.

Antes de ser mãe,

Eu não conhecia o calor,

A alegria,

O amor,

A preocupação,

A plenitude

Ou a satisfação de ser mãe.

Eu não sabia que era capaz de sentir tudo isso com tanta intensidade.


Tradução de "Before I was Mother"

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Ver vendo



... De tanto ver, a gente banaliza o olhar... Vê não-vendo...

Experimente ver pela primeira vez o que você vê todo dia, sem ver...

Parece fácil, mas não é...

O que nos cerca, o que nos é familiar, já não desperta curiosidade...

O campo visual da nossa rotina é como um vazio...

Você sai todo dia, por exemplo, pela mesma porta...

Se alguém lhe perguntar o que você vê no seu caminho, você não sabe...

De tanto ver, você não vê...

Sei de um profissional que passou 32 anos a fio pelo mesmo hall do prédio de seu escritório...

Lá estava sempre, pontualíssimo, o mesmo porteiro...

Dava-lhe um bom dia e às vezes lhe passava um recado ou uma correspondência...

Um dia o porteiro cometeu a descortesia de falecer...

Como era ele?

Sua cara?

Sua voz?

Como se vestia?

Não fazia a mínima idéia...

Em 32 anos, nunca o viu...

Para ser notado, o porteiro teve que morrer...

Se um dia no seu lugar estivesse uma girafa, cumprindo o rito, pode ser que também ninguém desse por sua ausência...

O hábito suja os olhos e lhes baixa a voltagem...

Mas há sempre o que ver...

Gente, coisas, bichos...

E vemos?

Não, não vemos...

Uma criança vê o que um adulto não vê...

Tem olhos atentos e limpos para o espetáculo do mundo...

O poeta é capaz de ver pela primeira vez o que, de tão visto, ninguém vê...

Há pai que nunca viu o próprio filho...

Marido que nunca viu a própria mulher (e desconhece os seus segredos e desejos), isso existe às pampas...

Nossos olhos se gastam no dia-a-dia, opacos...

É por aí que se instala no coração o monstro da indiferença...

(Otto Lara Rezende)